Nosso mandato quer contribuir para uma Câmara mais eficiente e antenada com os desejos da população. Além de usar o mínimo possível de verba de gabinete, acreditamos que extinguir o recesso parlamentar de meio de ano vai melhorar muito a produtividade da Casa.

Sou subscritora e solicitei co-autoria no projeto de lei que visa acabar com as “férias de julho” dos vereadores de São Paulo. O motivo? Com a pausa na atividade parlamentar, votações e tramitações de projetos importantes para São Paulo, como o Plano Municipal de Desestatização, foram postergados.

O PLO (Projeto de Emenda à Lei Orgânica) 19/2001 pretende alterar o art. 29 da Lei Orgânica que fala sobre os períodos de funcionamento da Câmara durante o ano. A mudança apoiada por nosso mandato quer garantir que as sessões legislativas serão realizadas de 1º de fevereiro a 15 de dezembro, sem pausas. O projeto, que já está pronto para votação, conta com apoio de 58 assinaturas de vereadores da atual legislatura e de passadas.

Durante o mês de julho, nosso gabinete funcionou normalmente todos os dias e se empenhou em diferentes ações, como criação de novos projetos de lei já protocolados, além da participação de audiências públicas sobre as concessões e privatizações. É uma pena que, nesse período, a tramitação de projetos não pode avançar.